Socorro sai da janela para ver Clinton, Bush e Obama – trecho

No dia 20 de janeiro, uma cerimônia tirou Socorro da janela. Era a posse de Joe Biden e Kamala Harris. “Preguiça de americano, mas o filho da puta do senador não vai se atirar hoje da janela”. Então sentou e assistiu Clinton, Bush, Obama. “Uns santos, mas quem sou eu?”. Para esses casos, usava a... Continuar Lendo →

E agora o navio tinha passado

Existe um prazer na raiva. Sem ela, você não consegue identificar que a paixão é que sempre salva o dia. Ela é maior que qualquer coisa. Que qualquer cara chato que complementa o que você fala. Que qualquer babaca com síndrome de pequeno poder. Isso a gente passa por cima. Mas na pandemia a raiva... Continuar Lendo →

Das dores de cobrir uma pandemia

Até bem pouco tempo atrás, dedicava horas da noite, e algumas das primeiras horas da manhã, à pandemia. Era para uma newsletter. Ao contrário de outros formatos de distribuição de notícias, newsletters não contam com redações, nem com rodízio de jornalistas. Ou seja, diariamente, eu lia tudo que estava ao meu alcance, buscava tudo que... Continuar Lendo →

Esse livro é massa, mas não recomendo em 2020

O Quarteto n. 15, em lá menor, op. 132 ou a prova da existência de Deus

A menos lida da internet

Alguém me lê aqui? Claro que não. O ano é 2020 e estamos no limbo.

Cada um tem o Rosebud que merece

Na biografia de Charles Schulz, alguns momentos são dedicados à sua fascinação por Cidadão Kane, de Orson Welles. Em 1941, o filme chegara ao cinema Park Theatre em Saint Paul, e um Schulz eletrizado imediatamente reconheceu sua grandeza. Com o passar dos anos, se tornaria uma fascinação pessoal e seu filme favorito. Ele assimilava a... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑