Perdão por não te agredir

Acordou cheia de energia, substituiu o pijama por uma vestido e desceu para o mercado. Precisava respirar um ar menos oficial, sentir um ventinho. E queria desejar bom dia. Continuar lendo

Memórias de um copo

Algumas paixões são misteriosas. A que eu sinto por Socorro é a que mais me intriga. Eu sou um copo sujo e estou abandonado há dias num canto da pia em meio a restos de comida e talheres de toda espécie. Nós estamos ali, apenas observando as coisas como espectadoras de fora. Continuar lendo

O Banho de Socorro

Enquanto a louça era tomada pelo complexo de rejeição, Socorro estava de pé no banheiro. Era dia de banho. E eram raros. Ela estava esgotada, mortalmente esgotada, e tão imunda quanto a pia da cozinha. Continuar lendo

Diário da louça suja – Parte I

Algo perigoso pairava no ar. Estavam todas irritadas, tomadas pelo medo de viver até o fim de suas vidas numa pia imunda. Pois ao contrário do que os humanos pensam, as louças escutam tudo, não existe inconsciência no mundo das louças. Continuar lendo

Não foi possível conectar-se à esta rede

Vivo apenas neste quarto. Entre uma cama de solteiro, um lençol velho, um espelho amarelado e uma escrivaninha que funciona como mesa e penteadeira. Eu estou sem internet desde o mês passado (ou talvez mais, não sei bem) e há duas semanas sem luz. É por isso que dei para passar o tempo na janela que dá para a rua principal do bairro. Continuar lendo